A prima da buceta inchada

E aí, galera? Hoje eu vou falar sobre a putona totalmente doida por pica da minha prima, a Jaqueline.

Jaqueline é uma vadia do bucetão inchado (nunca vi nada parecido, muito menos igual) e completamente louca por rolas grandes metendo com força nela. A história toda começou por volta de dez anos atrás, quando a Jaque foi morar na mesma casa que eu. Após alguns dias, ela passou a dormir comigo. E então, em um belo dia, eu disse que ela deveria arranjar uma amiga pra mim ou eu iria acabar comendo ela. Minha prima arranjou a amiga, mas ela estava totalmente doida pra me dar. Logo depois desse dia, a gente estava no sofá e eu puxei sua roupa de lado, passando a mão na sua buceta, que já estava melada e inchada. Ela falou para irmos ao quarto pois ficou com receio de que alguém chegasse, então deitamos e eu fiquei acariciando sua buceta, depois abaixando sua roupa até o joelho.

Ela estava com tanta tesão que não aguentou e tirou a roupa toda, virando de costas. Não estava conseguindo meter nela de costas, por conta disso ela virou de frente e finalmente pôde levar rola na buceta que estava tão inchada que até pulsava, estava quente e melada. Daí pra frente eu socava sempre na sua buceta, só que um dia eu acabei comendo o seu cuzinho sem querer, mas ela deixou socar como se fosse na sua buceta, era a deixa que teve para passar a amar rola no cu. Inclusive, a única transa que ela me falou sobre foi de quando um cara empurrou um pau enorme no seu cuzinho enquanto ela estava de pé no banheiro, e ela conta essa história com a famosa cara de putona dela, bem como ela é.

Um certo dia a gente estava na casa de um parente e, por ter muitas pessoas, algumas estavam dormindo no chão. Jaqueline estava deitada perto da cama em que eu estava dormindo, então eu aproveitei para meter na bucetona inchada dela mesmo no meio de todo mundo. Ela me mamou pela primeira vez, com medo do barulho, eu estava na cama e ela sentada no chão em seu colchão. A partir desse dia ela passou a me chupar duas a três vezes por dia, com seus boquetes demorados, sempre treinando para fazer o mesmo em outras rolas. Após um tempo, e depois de diversos caras terem acabado com a bucetinha inchada dela, a Jaqueline arrumou um namorado, mas de qualquer maneira nunca deixou de ser minha puta.

Minha prima ia até o meu apartamento para fazer um belo boquete ao meio-dia, na hora do almoço, inclusive enquanto o seu namorado ligava para ela pois eles trabalhavam juntos. Em muitas das vezes que nos vimos, sua buceta estava totalmente inchada, e mesmo assim ela não pedia para meter e ficava só no boquete. Isso acontecia praticamente em todas as semanas, e ainda que ela tenha ficado quatro dias na pica quando foi pra casa do seu namorado pela primeira vez, eu a comi quando voltou, inclusive seu cuzinho, e ela também me chupou como sempre.

Diversas vezes , quando o namorado da minha prima ia buscá-la, ela estava se deliciando com a minha rola, principalmente e mamando, e ele ficava esperando no meio da rua até ela engolir todo o leitinho. A minha prima putona sempre me falava que amava uma pica grande e metida com força, queria experimentar novas picas pra sua bucetinha ficar ainda mais inchada, depois, então, ela foi embora da minha casa e eu ia até a dela para ter o seu boquete no carro.

Há seis meses, ou seja, a última vez que me encontrei com ela, a minha prima gozou cinco vezes enquanto eu chupava o bucetão inchado dela dentro do carro. Ela me deu uma mamada e nunca mais fizemos nada, mesmo assim ela sabe que o bucetão inchado dela é só meu e que eu vou comer seu cuzinho e fazê-la chupar minha rola pra sempre.

Essa foi a história da minha prima bucetuda putona, doida por rolas grandes e que eu espero encontrar mais vezes no futuro, então eu trago mais relatos como esse para vocês.

Últimos contos eróticos

Compartilhe esse conto erótico:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Mais contos eróticos