O pedreiro me comeu gostoso

Domingo passado fui até casa da minha irmã casada pois estavam comemorando o aniversário de sua filha, eu fui bem cedo e em meu próprio carro. Passei o dia todo por lá, inclusive levei um presentinho para minha linda sobrinha. No mesmo dia, um pedreiro que mora no mesmo bairro foi até lá, o senhor Carlos, um homem pardo, de idade avançada, aproximadamente uns sessenta anos ou mais e forte.

Meu cunhado, Maurício, chamou Carlos para mostrar algo na casa que ele poderia consertar. Naquele domingo eu fiquei na casa da minha irmã o dia inteiro, até porque era o dia do aniversário da minha sobrinha.

Por volta das nove horas da noite, já era o momento de deixar a casa da minha irmã, então me despedi deles e fui até meu carro. Entretanto, quando liguei o carro, para minha surpresa, ele não funcionou. O meu cunhado deu uma olhada e não conseguiu descobrir o problema, ele então lembrou de Carlos, o pedreiro que encontramos mais cedo, pois ele também conserta carros.

Maurício enviou uma mensagem para Carlos e, logo em seguida, ele chegou. O pedreiro deu uma olhada no motor e, em seguida, mandou eu ligar o carro, que funcionou sem nenhum problema. Ele me explicou o que tinha acontecido e então perguntei ao senhor Carlos quanto deveria pagar pelo trabalho dele, ele então disse:

– Não, moça, não vou cobrar nada de você, mas você vai passar perto de onde eu moro, será que poderia me dar uma carona?

Respondi que sim e entramos no carro. Assim que chegamos perto da casa dele, eu parei o carro, ele me agradeceu pela carona e me convidou para dar entrar em sua casa rapidamente, neguei de início, mas ele insistiu e eu acabei aceitando. Aquele homem forte mora sozinho e a ex-esposa dele, segundo ele, o abandonou por traição da parte dela, contava ele enquanto me oferecia um suco.

Iniciamos uma conversa boa e interessante, Carlos me perguntou se eu era casada ou se tinha namorado, então o disse:

– Nem uma coisa, nem outra.

– Como uma moça linda dessas, loira, não tem nem namorado? – ele respondeu.

Sorri explicando que já tive vários namorados, mas no momento não. Logo depois ele se aproximou de mim, passando suas mãos por meus cabelos, em meu rosto, e falou:

– Moça, você é maravilhosa. – disse ele enquanto passava as mãos em minha bunda.

Fiquei com um tesão maluco, meus seios ficaram durinhos e minha buceta já estava super úmida. Carlos, colocou as mãos por cima dos meus peitos enquanto eu ainda estava de blusa e sutiã. Ele apertava meus peitos e eu estava adorando, arranquei minha blusa e o sutiã, e Carlos se encantou com os meus seios, tanto por serem grandes quanto por serem durinhos, então deixei o velho à vontade.

Ele os apalpou, chupou eles o quanto quis, logo percebi que a rola dele estava super dura, me deixando excitada, com muita vontade de dar para ele e, óbvio, o melzinho até escorria da minha buceta, o meu grelo sinalizava para o pau dele.

Sem muita demora, tirei minha calça, ficando apenas de calcinha, que era uma vermelha de modelo fio dental enfiada no rabo, com uma grande parte da minha buceta de fora, até por conta do fato de eu ser bucetuda. Quando me viu com aquela calcinha, Carlos ficou louco, apoiei minha cabeça em uma almofada que estava no sofá, me deitei, apenas coloquei a calcinha para um lado e o melzinho seguia escorrendo da minha buceta.

Carlos, com a rola bastante dura e ereta, a colocou ne entrada e, logo depois, socou bastante. Nossa, que delícia aquela rola entrando na minha buceta, e eu, como amo rebolar com um pau penetrando em mim, rebolei muito, não parei em nenhum instante de rebolar, e com os gemidos, fui ficando excitada.

Havia bastante tempo que ninguém me comia. Nossa, como eu gozei gostoso, minha buceta apertava o pau dele e, mesmo assim, ele continuou me comendo, metia com uma fome voraz, parecia que queria me devorar, até que chegou ao clímax e gozou jorrando bastante porra na minha buceta. Parecia que tinha muito tempo que não gozava assim em uma buceta, e o tempo que ficou gozando comprovou esse pensamento.

Assim, me ofereci para chupar o pau dele, e lógico que ele aceitou. Carlos colocou o pau em minha boca e o socou, mamei no pau igual uma puta, uma vadia, pois eu amo um pau na boca para chupar, acho super delicioso. Ele meteu e bombou frequentemente, tudo enquanto eu não parava de chupar no pau do senhor Carlos.

O bom foi quando ele gozou comigo mamando, pude degustar daquela porra, engolindo praticamente tudo e, mesmo depois de ter gozado, ele continuou agarrando meus cabelos para que eu não parasse de chupar a rola dele, mas eu nem queria parar por nada de mamar naquela rola. É extremamente delicioso chupar um pau.

Pensei que Carlos não ia querer comer o meu cuzinho, mas ele disse:

– Moça, você tem uma bunda enorme, é uma loira rabuda e eu também quero comer o seu cuzinho.

– Tudo bem. – respondi, até porque queria sentir aquela rola no meu cuzinho.

Então me apoiei de quatro no chão, empinei meu rabão o máximo que consegui e contei a ele que adoro ganhar uns tapas na raba. Carlos deu uns ótimos enquanto me chamava de loira safada, me segurava pela cintura e pressionava meu rabão na rola dele, socando seu pau no meu cuzinho.

Seu pau ia entrando enquanto eu rebolava para tudo entrar, e foi tudo mesmo, só o saco com as bolas ficou de fora. Ele bombava sem nem parar, o pedreiro comia meu cuzinho com muita força, parecia até um macho do mundo animal quando pega de jeito uma fêmea, e eu estava amando tudo aquilo, até que ele acabou gozando no meu cuzinho e era exatamente o que eu queria, apenas para sentir a porra quente bem lá no fundo.

Depois disso, Carlos continuou me tocando e chupou ainda mais meus peitos, ele com certeza se encantou com o tamanho dos meus seios. Aliás, todos se encantam com meus seios, posso dizer que chamo muita atenção enquanto ando pelas ruas, até mesmo por ser uma loira com rabão, coxas super grossas e peitões.

Durante a noite inteira fiquei na casa do pedreiro, dando para ele, ele me comeu do jeito que queria e por quanto tempo desejou, ele me possuiu. Carlos disse que fazia meses que ele não pegava uma mulher e foi logo pegar uma loira gostosona e rabuda. Fiquei muito feliz com o que ele disse e amei ter dado para aquele homem, acho que provavelmente vou repetir.

Últimos contos eróticos

Compartilhe esse conto erótico:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Mais contos eróticos